sábado, 14 de abril de 2012

Sobre amigos que vão e outros que chegam

Oi... acabou de sair uma visita de casa e estou meio elétrica (é 1 da manhã) ... pq é sempre bom receber amigos do Brasil em casa... falar português com alguém mais que Petrus e Lourenço.

Vou escrever este post em português e espanhol, como uma dedicatória a uma querida amiga! Sobre los amigos que vão e amigos que chegam!

Escribo este post en portugués y español, como una dedicación a una querida amiga! Perdónenme si mi español no es muy bueno. Acerca de eses amigos que llegan y que se van. (Si alguien sabe que mi español está muy mal... escríbanme un correo, así lo corrijo. Gracias... el correo: caroline.daipra.blog@gmail.com)

Esta semana uma amiga muito querida que fiz em dezembro último foi embora. Não sei se a verei mês que vem, ou daqui 6 meses ou daqui a alguns anos! Se vou visitá-la em seu país, se vamos nos encontrar no Brasil algum dia, ou se nos veremos aqui pelo bairro passeando com a criarada. Só sei que ontem eu estava muito tristonha, até meio chorona pelos cantos pq ela se foi.Esa semana una amiga muy querida volvió a su país, nos conocimos en diciembre. No sé cuando la veré: si en un mes, 6 meses o algunos años. Si voy a visitarla en su país, si nos encontramos en Brasil, o si nos veremos acá mismo por el barrio paseando con los chicos. Lo único que sé es que, ayer estaba bastante triste, llorando un poquito por las esquinas de la casa porque ella y su familia se fueron.

Desde que viemos morar aqui, as adoravéis amizades que fizemos já voltaram a seus paises ou já se mudaram... e mais uma vez começará uma nova fase nossa: fazer novos amigos! Sempre é um recomeço fazer novas amizades. Mas confesso que tenho meus pensamentos egoístas de não querer perdê-los, e queria muito esses amigos que fizemos aqui continuassem aqui na vizinhança! Que continuássemos almoçando, jantando, tomando mates juntos, levando as crianças a brincar na praça, separando as crianças das brigas pelo mesmo brinquedo, essas coisas que amigos podem compartir juntos e rir juntos, animar-se, oferecer uma ajuda inesperada! Enfim, vivendo a vida um ao lado do outro.Desde que venimos a vivir acá, hicimos adorables amistades. Unos ya volvieron a sus países o se mudaron... y ahora empezamos otra vez la fase de hacernos nuevos amigos. Siempre es un reinicio, pero confieso que tengo pensamientos egoístas de no querer que se vayan, quería que todos siguiesen acá en el vecindario. Que pudiéramos seguir almorzando, cenando, tomando mates y comiendo facturas, llevando os chicos a la plaza, separando los chicos de las peleas por el mismo juguete, esas cosas que hacen los amigos que comparten la vida juntos. Riendo, animando, ofreciendo una ayuda inesperada. Al final, viviendo la vida una al lado del otro.
Com essa amiga querida e sua família compartimos muitas coisas desde que conhecemos, damos risadas, fazemos piada dos argentinos (logo se vê que nenhuma é daqui, perdoem-me amigos argentinos, mas as vezes vocês merecem uma piada), levamos as crianças na praça, nos juntamos na casa de um ou outro, fizemos massas caseiras, assados, lanche com o que tem na geladeira! Enfim... foram poucos meses, mas foram meses muito especiais, a ponto de me deixar chorando pelos cantos.Con esa amiga y su familia compartimos las cosas comunes, riendo, haciendo chistes de los argentinos (perdónenme amigos argentino, pero a veces ustedes se lo merecen los chistes), llevando los chicos a la plaza, juntándonos en la casa de uno o otro, preparamos ricos fideos caseros (cambiando recetas), asados, meriendas con lo que había en la heladera. Fueron pocos meses, pero fueron muy especiales, a punto de estar por las esquinas de la casa llorando.
Depois de todas essas avaliações fiquei pensando em todas as vezes que nos despedimos de nossos amigos / familiares, nós fomos e eles / vocês ficaram. Não que me senti má, cruel por ter feito outra pessoa passar por essa experiência triste de despedida. Mas pude sentir essa pequena tristeza que invade pela incerteza de não saber quando verei esta pessoa querida. Pelo buraco que ela deixa no dia-a-dia. Mas ao mesmo tempo gera uma expectativa gostosa para o futuro encontro. Que vamos fazer juntas, do que vamos rir, como seremos quando nos reencontrarmos. Então eu seco a lágrima da saudade e já começo a planejar mentalmente como será nosso reencontro em algum momento do futuro.
Después de todas estas comentarios estaba pensando en todas las veces que dijimos (Petrus y yo) adiós a nuestros amigos y familiares, nos fuimos y ellos / ustedes quedaron. No es que me sentía mal por haber sido tan cruel de hacer alguien pasar por esa experiencia de despedida ... Sin embargo, pude sentir esa tristeza que invade por la incertidumbre de no saber cuándo veré a esa persona querida. Por el hueco que deja en el día a día. Pero al mismo tiempo, crea una expectativa placentera para el futuro reencuentro. Lo que vamos hacer juntos, de lo que vamos a reír, como seremos cuando nos volvamos a encontrar. Entonces me seco las lágrimas de nostalgia y ya comienzo a planear mentalmente nuestro alegre reencuentro en el futuro.
Bueno, querida Giusy, te voy a extrañar! Espero pronto verte... en algun lugar del planeta! Quizás nos vamos a Itália! Besos, besos, ciao, ciao, ciao.
Caro.

Um comentário:

Karen e Edu disse...

Oi Caroline!
Confesso que quase chorei lendo a sua postagem. Foi como sentir de novo a dor da saudades, da tristeza de ter que deixar amigos e ver outros partindo. Quando nos mudamos da primeira cidade que moramos aqui na Suécia para esta onde estamos agora, como foi difícil encarar o comecar de novo de novo! Mas em todas essas coisas Deus trabalha em nossas vidas e ensina coisas novas, né? E que bom poder sempre olhar pra trás e poder ver que deixamos e fomos deixados por AMIGOS!
Beijos, Karen

Postar um comentário