quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

A Cozinha: o retorno!


Em dezembro eu abandonei minha cozinha, estava enlouquecida fazendo outras coisas... de volta à casa, de volta aos pequenos prazeres! Nos últimos anos aprendi a gostar de cozinhar (coisa que os filhos fazem com a gente e o Jamie Oliver também)! A desfrutar dos variados sabores e combinações! Que prazer! Mas existem coisas que a gente come quando criança e ficam marcadas para o resto da vida! Uma delas é Sagú, como boa gaúcha que sou, por mais simples que pareça! Eu adoro... mas tem que ser o de vinho!

Segue uma receita para o sagú ficar maravilhoso: Sem grumos, sem ficar duro e borrachudo!
A receita eu tinha pego num programa do Anonymus Gourmet a uns 7-8 anos atrás, depois perdi ela. Tentei fazer um sagú sem a receita e saiu HORRÍVEL! Depois nunca mais tentei porque não lembrava em nada como era, busquei na internet e nada! Agora de visita a mamis, ela tinha a receita no caderninho! Ai salvação do meu sagú para matar mosquito! Ah... e por favor nada de comprar as bolinhas de caixinha do Dr. Oetker (acho que é assim que se escreve)... no way. Sagú normal minha gente, daquele comunzão viu!

Então, vamos a cozinha, não é nada de complicado, só um pequeno gostinho do ontem que a gente quer manter no hoje!

SAGÚ
Receita de Anonymus Gourmet
Rende: 6 porções
Tempo preparação: 12h (descanso do sagú) + 30 min

Ingredientes
1 xic. bolinhas sagú
5 xic. água
1/2l. leite ou vinho
1+1/2 xic. açúcar
canela em pau (opcional)


  1. Deixe as bolinhas de molho em 1 xic de água por 5 min. As bolinhas absorverão a água
  2. Em um panela ao fogão, adicionar 2 xic água e as bolinhas de sagú que foram deixadas de molho. Espere abrir fervura e retire do fogo.
  3. Derrame as bolinhas em uma peneira para retirar toda água quente e coloque a peneira com as bolinhas debaixo d´água corrente fria. Isso permitirá que todo o amido excessivo das bolinhas vá embora e ajudará que não fique pegajoso e borrachudo.
  4. Depois de escorrer bem as bolinhas, coloque-as em um refratário e cubra com 2 xic de água.
  5. Levar o refratário para a geladeira por no mínimo 3 horas. O melhor é deixar de um dia para o outro.
  6. 1/2l de vinho ou leite ao fogo + 1 1/2 xic de açúcar e canela em pau, misture e espere abrir fervura. (OBS.: se vc vai servir para crianças, como é o meu caso, deixe ferver um pouco mais antes de colocar as bolinhas para evaporar um pouco o álcool, em caso de fazer com vinho. Os pequenos reclamaram que ardia a garganta... deve ser que não fervi suficiente, pode acontecer hehehehe).
  7. Derrame as bolinhas e mexa delicadamente por 5 minutos.
  8. Coloque tudo em prato refratário e leve para a geladeira até ficar algo consistente. Quanto mais tempo melhor.

Se você for fazer sagú de leite, eu aconselho a ter disponível tb leite condensado, como diz um amigo tudo com leite condensado e bacon fica bom.!

Se você gosta de servir o sagú com aquele creminho de baunilha, abaixo a receita de algo que aqui na Argentina chamamos Crema Pastelera... que eu acho que fica bem melhor! Só a receita que eu tenho é para uma porção grande de creme. Você pode reduzir a metade, ou fazê-la inteira que reaproveitar para algum outro doce que leve algum tipo de creme, ou fazer uma torta de bolacha e usar esse creme como recheio combinado com algo mais, tipo BIS. Aqui esse creme é comumente usado como recheio de facturas, onde a mais famosa delas é a medialuna. A receita é de Doña Petrona, a Dona Benta argentina.

CREMA PASTELERA
Receita de Petrona Gandulfo do livro "El gran libro de Doña Petrona"

2 ovos inteiros
2 gemas
200 g. de açúcar
2 col. sopa de farina de trigo
1 barrinha de baunilha, ou essência de baunilha, ou pedacinhos de casca de limão - a gosto
1 litro de leite
  1. Em um recipiente colocar os ovos, as gemas, o açúcar, a farinha, baunilha ou casca de limão. Mexer e agregar o leite.
  2. Colocar em fogo lento e mexer continuamente de preferencia com um batedor de arame, até que esteja espessa, deixando-a abrir fervura por um momento.
  3. Retirar do fogo e deixar esfriar.
  4. Este creme se pode preparar com um ovo inteiro ou com gemas somente. Quanto mais gemas, mais delicada ficará.
Espero que desfrutem das receitas que nos faziam as avós... e nós podemos repetir-las e desfrutar-las hoje.

Besos gordos,
Caro e cia.

segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

WE ARE BACK!









       






Vcs não vão crer que essa bici era minha!! Agora quando vamos a casa dos avós, tem diversão!
E alguns acidentes muito dramáticos!


Bagunça com a Tia!
Amigas,

Estamos de volta! À casa e ao blog!

Fomos para o Brasil passar as festas de final de ano com nossas famílias! Foi toda uma aventura... mas decididamente nosso talento é perambular por aí de carro com toda a criarada junto! Pensando depois, pq na hora a gente não pensa, é meio insano! Mas, o importante é se locomover com o menor custo... então lá fomos nós de carro! Foram aproximadamente 1.300km, os quais na ida dividimos em 2 dois dias, primeiro dia 8 horas de viagem e 800 km. Segundo dia 6 horas e 500 km. Na volta fizemos 15 horas de viagem direto, com duas paradas de 1h para Petrus descansar! O que posso dizer é que as crianças são valentes, nada mais. Na ida e volta estava um calor de assar frango! Uma saudade de Julho q vcs não imaginam!

Ah, foi tão bom! Tempo em família, na casa dos avós, com as tias, os primos, muito pátio, muita liberdade, ver alguns amigos, as bisas doentinhas, falecimento de um tio. Família sempre tem de tudo um pouco. Calor... uns dias de praia, pescaria com o vô na chuva, muito barro, moooito barro vermelho! Sair sozinha sem criança (alegria sem-fim minha!), furar orelha da Oli por primeira vez. Virada de ano super família, como eu gosto. Estava muito bom! Saudades! Saudades... Mas comecei a sentir saudade de casa também, não posso negar. Ficaria um tempo mais

Crianças que me pediram para ir viver com os avós... que eu podia voltar para a Argentina, eles ficariam por lá, vão na escola lá (ainda mais q passei com Lourenço em frente da minha escola). A desculpa da escola foi que aqui tem muito coleguinha mal-educado, como se lá não fosse existir crianças mal-educadas. Como se tudo fosse tão fácil como eles creem que é!

Mas foi muito bom ter ido... Oli, Lourenço e eu havíamos ido a dois anos, então que fazia um montão de tempo. Em alguns momentos fiquei pensando: pq a gente não foi antes? Mas enfim, fui lembrando os porquês da nossa não ida em 2012. Realmente foi um ano complicado para nós! E depois tivemos a Federico que nasceu agarrado nas fraldas da Oli... são vários os PE-TÊs como diz a Oli!

Entón, estamos de volta! Não vou prometer nada sobre postagens... já vi que isso estaria fazendo propaganda enganosa. Esperemos março para algo de regularidade, qdo começam as aulas! Por agora estou a mil com uma interminável lista de afazeres pela casa... ordenando todos os armário (outra vez), jogando o lixaredo fora, separando coisas para dar, mais minha interminável lista de coisas para acomodar no nosso micropertamento. Quando menor o espaço, maior a engenharia de acomodação... e digamos que Petrus e eu temos muita coisa + coisas das crianças = BASTANTE COISA! Não tem jeito!

Bueno... nos vemos pronto! Obrigada por nos visitar!

Um beijo enorme a todas!
Caro e cia.